O Mistério: Como usar Assento no Cavalo?

14/02/2018 17:23

As Ajudas de  Assento

 
 
          
 

Ao se montar cavalos devemos executar algumas ações para que o cavalo cumpra o que queremos. A estas ações damos o nome técnico de AJUDAS.

Pois bem, há ajudas de pernas, de mãos, de tronco, mentais e de assento.

Hoje vamos discorrer a respeito das ajudas de assento que são realmente extremamente importantes ao se montar um cavalo.

Sabem, as mãos do cavaleiro devem ser flexíveis e leves, como se o humano tivesse em suas mãos dois filhotes de passarinho.... se fechar a mão com força, os filhotes não sobreviverão.

As pernas devem estar sobre o cavalo, assim como uma toalha fica sobre o nosso corpo.

Mas o assento.... uau.... quanta coisa o assento pode nos ajudar...

Um bom assento faz com que o cavalo aumente ou diminua tanto a velocidade como o tamanho de sua passada, bem como faça as transições de uma andadura para a outra (passo, trote, galope e Alto também!!).

Além disso um bom assento faz o cavalo virar e realizar curvas, também nos fala onde está cada pata do cavalo a cada passada, faz o cavalo engajar os posteriores, ceder o dorso e ficar com o pescoço e cabeça engajados.

Enfim... um bom assento te dará um cavalo a mão, pronto para enfrentar qualquer obstáculo a sua frente (seja em um prova de salto, em uma prova de “dressage”, em uma competição de enduro ou em uma simples caminhada).

A este assento que comanda e escuta o cavalo, damos o nome técnico de Assento Independente.

É válido ressaltar aqui que um Assento não é relacionado apenas a musculatura dos glúteos de nosso corpo, mas sim aos glúteos, a região lombar, musculatura do core, quadril e, principalmente, a região dos ossos ísquios e cóccix.

Um bom assento indenpendete deve: ser natural, auto-sustentável e leve. Para conseguir isso, o cavaleiro deve desenvolver os seguintes itens:

1.       Assento Observador – aqui o cavaleiro poderá sentir cada pata do cavalo em cada movimento, bem como sentirá o movimento e o “swing”  podendo influenciar todo o seu corpo através do assento e do movimento que está sendo executado pelo cavalo.

2.       Assento Alinhado – neste ponto é importantíssimo desenvolver a congruência e alinhamento com o cavalo e o direcionamento do movimento a se seguir.

3.       Assento Coordenado – neste momento o assento estará coordenado para  cooperar perfeitamente em conjunto com as demais ajudas (mãos, pernas, mental e chicote) e trará de forma mais simples a reunião e o alongamento dos exercícios solicitados.

4.       Assento Funcional – há momentos em que você precisará dar espaço ao cavalo para ele realizar sua tarefa de melhor forma enquanto você realiza atividades paralelas, como fazer alguns exercícios, pegar um chicote, acompanhar o salto, abrir uma porteira, ou pegar algo ou jogar algo, etc. Neste momento seu assento deve transformar seu cavalo como um camaleão deixando-o de forma equilibrada, confortável e auto-sustentável para exercer seu papel sem ser prejudicado pelo peso adicional de seu cavaleiro.

5.       Assento Unido – Para obter este assento é necessário anos de treino. É aqui que o assento fica bonito, leve, parecendo com que da cintura para baixo cavalo e cavaleiro são uma só figura – a tão sonhada centaurização que desejamos ao montar o cavalo. Infelizmente não depende apenas da ação do cavaleiro, mas também do cavalo conseguir se auto-sustentar e entender perfeitamente seu cavaleiro.

Ao conseguir este assento independente, o cavaleiro sempre conseguirá pedir exercícios simples e avançados fazendo cada vez menos ações e dando menos ajudas a seu cavalo executar de forma brilhante cada exercício solicitado.

Portanto um assento independente é uma ajuda essencial a todos que montam, e não diz respeito somente aos que praticam adestramento clássico (dressage), mas sim a todos que usam cavalos para trabalho, lazer ou esporte.