Como Manter e Aumentar a Performance do Conjunto Cavalo e Cavaleiro Durante Longas Temporadas - Autor: Prof. Leandro Laudeslau

24/03/2014 09:47

Muitos competidores tem nos procurado pedindo ajuda de como conseguir terminar a temporada e se preparar para as principais competições do ano como brasileiros, estaduais e alguns internacionais, tendo um bom desempenho em todos eles. O problema é: como treinar com meu cavalo entre as competições sem haver stress, cansaso em demasia e acabar comprometendo meu desempenho nas provas, ao mesmo tempo em que preciso treinar mais para obter bons resultados? Podemos dizer que estes problemas podem ser facilmente resolvidos montando para seu conjunto um: Plano de Treinamento. (este plano de treinamento é diferente do plano traçado pela Roda do Domínio, porém um está engajado no outro!).

O Plano de Treinamento deverá ser focado em seus objetivos, já prevendo tudo o que possa acontecer do momento em que você inicia este plano até a última etapa desta temporada, e também como será o tempo de férias. Ou seja, todos os seus objetivos para esta temporada que podem ser variáveis como: querer melhorar seu rendimento para adquirir outro cavalo, melhorar seu desempenho para as árduas competições, ou melhorar e aperfeiçoar a técnica, comandos ou adquirir maior contato com o cavalo, devem pertencer ao seu cronograma. É muito importante colocar objetivos alcançáveis sendo a curto, médio e longo prazo.

O Plano de Treinamento deve focar 3 pontos muito importantes para estabelecer uma linha de preparo que são interligados e com certeza farão a diferença no final de cada temporada:

1. Cavalo – Principal motor da competição, musculatura forte, explosiva, ágil e dinâmica, em muitos casos precisos, coordenados, sutis, mansos, atentos, porém extremamente frágeis e dependentes de condicionamento físico e mental. São inúmeras as qualidades físicas que o cavalo poderá se adequar conforme a necessidade solicitada em sua modalidade eqüestre. É um atleta que precisa ser condicionado diariamente, assim como um jogador de futebol ou de tenis.

2. Cavaleiro – Não muito diferente do cavalo, peça fundamental que irá compor o conjunto, sendo o responsável pela qualidade e condução do cavalo. Portanto é imprescindível que este atleta tenha um condicionamento físico específico para sua modalidade fazendo com que seu corpo fique forte, resistente, ágil, flexível, coordenado e equilibrado. Estas qualidades físicas quando incluídas de forma consciente em sua modalidade ajudarão o conjunto cavalo/cavaleiro aumentando sua percepção corporal, equilíbrio, ação e raciocínio rápido quando solicitado sem interferir (desequilibrar, forçar e assustar) o cavalo com seus comandos e ajudas.

3. Treinamento – Como em todos os esportes, o treinamento faz a diferença desde que elaborado por profissional especializado e qualificado para estruturar todo o período de treinamento, levando em conta toda a individualidade biológica (força, agilidade, habilidade, altura, peso, idade, etc) e outros fatores que possam surgir durante a temporada competitiva ou preparatória. Antes de elaborar o treinamento físico propriamente dito, é necessário planejar os dias e meses de competições importantes, lembrando que todo treinamento é oscilatório, ou seja, o cronograma de treinamento dependerá do cronograma de competição para não haver sobrecarga muscular ou stress corporal do conjunto.

Nos objetivos é importante focar tempo. Isto quer dizer focar quanto tempo se tem e quanto tempo se deve ter para alcançar este objetivo e aí estabelecer o cronograma de ação. Este Plano de Trabalho, incluindo todas as fases (com tempo – dias, semanas, meses, anos) é conhecido como Periodização de Treinamento.

A Periodização de Treinamento é um plano de treinamento voltado para os objetivos de cada esportista podendo ser prescrito semanalmente, mensalmente ou anualmente. Dentro de cada planejamento existem diversos ciclos ou divisões de temporada de treino, que enfatizam o desenvolvimento do preparo físico por meios lógicos e estruturados individualmente. O primeiro ciclo é chamado de período preparatório que, como o próprio nome diz, prepara o indivíduo a fim de aumentar sua condição física, técnica e melhora seu rendimento. Em seguida tem-se o período de manutenção, que visa estabilizar a aptidão física atingida e aprimorar demais estímulos gerados ao longo do treinamento. E finalmente, o período transitório, que contribui para a recuperação completa no treinamento e condicionamento físico do conjunto dando inicio a outros tipos de treinamentos.

Para exemplificar este parágrafo, vamos refletir nas questões a seguir: Você se inscreveria em uma prova independente da modalidade com um cavalo sem preparo algum, sem musculatura, técnica, agilidade, força e destreza? Por quê? Quais as conseqüências? O seu foco é o prêmio? De 0 a 7 quais as chances de ganhar ? Agora vamos reformular a pergunta: Você se inscreveria em uma prova com dores ou fadiga muscular, desanimado, sem condicionamento físico adequado, sem técnica? Por que? Quais as conseqüências? De 0 a 7 quais as chances de ganhar ? Com certeza o conjunto equilibrado fisicamente terá maiores chances de completar uma temporada sem grandes problemas.

 Todos os atletas devem se submeter a treinamentos adequados, obedecendo ao cronograma e as etapas de cada período de treinamento. Estes períodos são divididos em: Macrociclos, Mesocliclos e Microciclos. Os Macrociclos correspondem ao período anual contendo todo o roteiro competitivo do conjunto cavalo/cavaleiro. Pode ser subdividido em períodos: preparatório, competitivo e transitório, com duração de 6 a 12 meses. Dentro deste Macrociclo existem os Mesociclos, que se referem aos ciclos menores de treinamento (utilizam 4 a 5 semanas) como mudança de carga, oscilação e incorporação de determinados exercícios, dificuldades, treinamentos, etc. Ainda dentro de cada Mesociclo existem os Microciclos que se resumem no treinamento diário propriamente dito (% cargas, séries, tipos de exercícios, etc), conforme mostra a figura 1 abaixo:

A cada período de treinamento há uma fase de recuperação na zona do preparo físico semanal do conjunto. Durante esta semana deverá existir um ou dois dias de descanso para não comprometer o rendimento tanto do cavalo como do cavaleiro, isto dependendo da modalidade eqüestre (Salto, Adestramento, CCE, entre outras), individualidade biológica do cavaleiro e do cavalo (idade, aptidão física, etc.) e carga de treino exigida durante o treinamento físico. Caso o cavaleiro não respeite esse ciclo de treinamento o conjunto terá fadiga crônica, diminuição da capacidade de trabalho tanto física quanto mental, aumento das dores nos tendões, músculos e articulações, susceptibilidade a doenças comuns e possíveis ocorrências de dores de cabeça e náuseas, conforme gráfico abaixo:

Para evitar possíveis comprometimentos no treinamento diário utiliza-se o período transitório, também conhecido como pausa ativa ou período recuperativo. É um dos ciclos primordiais e importantes no treinamento do conjunto. Neste período da-se a obrigatoriedade do binomio cavalo cavaleiro repor a energia exaurida após um grande trabalho físico e aliviar o “stress” causado por fatores indiretos (familiares, amigos, espectadores, etc.) e diretos (técnica aprendida, viagem, competições, etc.). Isto quer dizer que neste período de transição, o cavaleiro irá diminuir sua intensidade nos exercícios ou mudar a atividade física  como por exemplo, jogar bola, fazer natação, dançar, meditar, entre outras atividades paralelas que não sejam competitivas.  Já para o cavalo deve ser feito a mesma coisa: passear, ir para o piquete, correr sem nenhuma pretensão competitiva ou técnica, etc. O ideal para que ocorra uma recuperação corporal total do conjunto é fazer com que o mesmo cumpra de 12 a 18 horas de descanso. Desta forma ocorrerá o que chamamos de supercompensação ou equilíbrio de homeostase. Para cada estímulo dado durante o treinamento (cargas, exercícios, repetições) e com as devidas pausas, o corpo irá evoluir gradativamente forçando a sempre sair deste equilíbrio elevando o rendimento  a um patamar mais elevado de forma saudável e segura. 

Competidores (conjunto cavalo cavaleiro) que não possuem um treinamento físico bem estruturado, ou se o possuem, não respeitam o tempo de cada fase de treinamento (alimentação saudável, bom descanso e cargas de treinos sem exageros) ou interrompem o programa de treinamento físico por longos períodos e retornam utilizando o mesmo volume e intensidade no treino sem antes retornar a fase de adaptação estarão mais suscetíveis à sérios acidentes.

Para visualizar e entender os desgastes físicos que ocorrem com o conjunto cavalo cavaleiro cita-se um exemplo clássico que ocorre em uma semana pré-competitiva no Salto, Adestramento ou CCE: É uma 2° feira com o campeonato marcado para Sábado e Domingo da mesma semana. O ginete como qualquer outro competidor quer subir ao pódio. Portanto, treina durante toda a semana suas técnicas, habilidades, condicionamento e destreza do cavalo, tipo de percurso (cronômetro, caça, tempo ideal), grau de dificuldade (diferentes séries e categorias). No dia da competição o cavaleiro aquece seu cavalo de forma intensa e finalmente entra na prova. Nesta situação não precisamos dizer qual foi o resultado obtido. Com certeza este conjunto obteve  recordações de uma semana estressante, com muitas dores, fadiga acumulada e rendimento de trabalho totalmente prejudicado nos dias subseqüentes, entre outros problemas descritos anteriormente no gráfico Magnitude de Treinamento I, lembrando que esses acontecimentos não sobrecarregaram apenas o cavaleiro, mas houve forte influência também no seu fiel escudeiro, amigo e companheiro:  seu  de cavalo.

Agora o Conjunto que vem desenvolvendo um Plano de Trabalho focado em cada etapa de seu treinamento, na semana da competição saberá dosar o treinamento de forma a chegar no seu auge de rendimento e performance durante a competição, sem sobrecarregar o treino dias antes da competição. É fato que o preparo para uma competição é feita com muito tempo de treino e não apenas com uma semana. O resultado deste conjunto será a recordação de uma temporada que rendeu boas recordações por muitos e muitos anos.

O binomio cavalo cavaleiro que estiver muito próximo da temporada de competição, porém com o condicionamento físico indesejável, não devem cometer exageros para recuperar o tempo perdido. Primeiramente é importantíssimo consultar um especialista (Médico, Médico Veterinário, Técnico, Personal Trainer) em práticas eqüestres para traçar um cronograma adequado e compatível com estado físico do conjunto. Também são sugeridas atividades leves com sobrecarga leve/moderada enfatizando os exercícios aeróbicos e resistidos, chamados de períodos transitório, de manutenção ou de descanso ativo. Desta forma a aptidão física terá um aumento significativo fornecendo uma base sólida para os próximos períodos de treinamento ou condicionamento fisico para a fase preparatória das próximas competições.

Lembre-se que uma atividade com qualidade é aquela executada de forma natural, consciente de cada movimento muscular, acionada durante cada exercício, enfatizando uma respiração completa sem apnéia (bloqueio da respiração durante a execução de exercícios) e uma postura correta. Respeite os limites corporais como amplitude de movimento, alongamentos, cargas, alimentação saudável e o mais importante de todo o condicionamento físico, repouso na dose certa.

Esperamos ter ajudado nas questões de como conseguir completar uma temporada de forma saudável e alcançando os objetivos desejados no seu inicio. Em caso de dúvidas, será um prazer poder responde-las (contato@forcecia.com.br).

Até a próxima.

Prof. Leandro Laudeslau